Dante Pazzanese: fundador da Sociedade Brasileira de Cardiologia

 

Por:  Dr. Lauro Arruda Câmara Filho

 

Dante Pazzanese  nasceu em Barão de Monte Alto, MG, em  31 de dezembro de 1900. Formou-se em Medicina aos 24 anos pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, e  obteve o título de doutorado no mesmo ano,  defendendo a tese “A anisocoria”. Iniciou sua carreira médica clinicando no município de Itapira, interior de São Paulo. Seguiu em 1928 para a capital paulista e começou a trabalhar voluntariamente como assistente na Faculdade de Medicina de São Paulo. No ano seguinte,  organizou o serviço pioneiro de eletrocardiografia dessa mesma faculdade. Sua organização e competência eram tão grandes que, até o ano de 1933, Pazzanese foi o único médico especialista a realizar e ministrar cursos dessa área no país.

Além disso, ele foi o criador do Serviço de Cardiologia do Hospital Municipal, em 1937, onde foi realizado o primeiro curso de Cardiologia em São Paulo. Em 1939, fez estágio no Heart Station, na Universidade de Michigan, nos Estados Unidos. Em 1942, convidou o Dr. Frank Norman Wilson, da mesma universidade, para ministrar um curso sobre eletrocardiografia em São Paulo. Em 14 de agosto de 1943, junto com os alunos da terceira turma do  curso,  fundou a Sociedade Brasileira de Cardiologia, sendo escolhido presidente e tendo o Dr. Jairo Ramos  como diretor médico. Foram 112 sócios fundadores, com representantes de vários estados brasileiros. O Rio Grande do Norte foi representado pelo Dr Ovídio Montenegro (13/08/1916- 12/07/2003), nascido em Assu/RN e radicado em Recife/PE.

No ano de 1954, Pazzanese conseguiu viabilizar o Instituto de Cardiologia do Estado de São Paulo (Icesp). O Instituto iniciou suas atividades em um casarão na Av. Paulista, nº  392,  e mais tarde passou para a antiga Av. XV de Novembro, hoje conhecida como Av. Dante Pazzanese. Nessa nova instalação (onde até hoje é localizado o Instituto),  foi construído um ambulatório com mais de mil metros quadrados, no ano de 1958. O Instituto  foi rebatizado em sua homenagem em 1975, e hoje é chamado Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia (IDPC).

O Instituto Dante Pazzanese foi o primeiro serviço de cardiologia da América do Sul a instalar a determinação das lipoproteínas por ultracentrifugação. Com essa nova técnica, foi  estabelecido um padrão de risco das pessoas com as proteínas de baixa densidade, a LDL .

Como o Instituto dependia do orçamento do estado, as dificuldades financeiras eram grandes:  o orçamento era feito no ano anterior,  e devido à inflação os recursos eram escassos no segundo semestre. A solução encontrada foi a criação de um fundo de pesquisa do instituto, com a cobrança dos serviços às pessoas que tinham condições de pagar por eles.

Como os modelos das válvulas cardíacas artificiais eram importados e caros, Dr. Dante incentivou o desenvolvimento de  uma válvula brasileira mais em conta.

O instituto pediu um empréstimo para fabricar 200 marca-passos e para a construção de um hospital. Tinham como idéia pagar o empréstimo dos marca-passos com a renda de sua venda, e os demais seriam para quem não pudesse pagar. Em seis meses,  conseguiram pagar a dívida que o governo considerava de fundo perdido.

Através do convênio de locação de leitos feito com a Beneficiência  Portuguesa,  quitaram a dívida da construção do hospital. A partir daí,  o Instituto Dante Pazzanese não só pôde internar doentes como também desenvolver a cirurgia cardíaca, que na época estava  iniciando no país.

Dr. Dante Pazzanese era conhecido por sempre buscar novos conhecimentos para sua área de atuação e pela sua atenção especial aos novos aparelhos. Costumava dar ênfase aos aspectos sociais que as conquistas cardiológicas trouxeram à sociedade.

Da primeira turma de cardiologistas do Instiuto, de 1959, participaram os médicos Eduardo Souza e Valmir Fontes, uma das principais lideranças em cardiopatias congênitas do País. Da segunda turma estão Hélio Magalhães e Paulo Paulista. A residência do instituto foi se aprimorando e é, com certeza, uma das melhores do País.

Dr.  Dante Pazzanese faleceu em 09 de janeiro de 1975, aos 74 anos.