Dia Nacional de Combate ao Fumo

29 de agosto – Dia Nacional de Combate ao Fumo

 

Sem cigarro, sua vida ganha mais saúde

Cada cigarro contém cerca de 4720 substâncias tóxicas, das quais 50 são cancerígenas 

O tabagismo leva a aumento de diversas doenças como bronquite crônica, enfisema pulmonar, derrames e infartos – são pelo menos 50 doenças reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Fumar aumenta o risco de câncer

O tabagismo é causa primária de 30% de todos os tipos de câncer e responde por 22% das mortes causadas pela doença. Os tipos de câncer mais comuns entre os fumantes são:  pulmão, cabeça e pescoço, bexiga, rim, esôfago, pâncreas, cólon e reto e esôfago. Cerca de 20% dos fumantes desenvolvem câncer de pulmão, doença que tem alta letalidade e decorre do tabagismo em 90% dos casos.

O cigarro diminui a expectativa de vida

Cada cigarro consumido subtrai 11 minutos da vida do fumante, segundo estudo publicado em 2010 no British Medical Journal. Além disso, 50% dos fumantes inveterados morrem prematuramente por causa do seu hábito, com redução média da vida de 20 a 25 anos.

Fumar faz mal até para os não-fumantes

O fumo passivo aumenta em 25% os ricos de doenças cardíacas e eleva também o risco de desenvolver câncer, complicações respiratórias e outros problemas. Sintomas de curto prazo, como irritação nos olhos, tosse, coriza e náuseas também se manifestam.

Fumar agride ao meio ambiente

As pontas de cigarro são o resíduo mais descartado no mundo. Estima-se que 767 milhões de quilos delas tornem-se lixo tóxico. Quando descartadas incorretamente, levam até cinco anos pare se decompor. Por conter substâncias nocivas, podem prejudicar o solo, poluir rios e córregos e levar ao entupimento dos bueiros, dentre outros malefícios.

 

Fonte:  Fundação do Câncer  https://www.cancer.org.br

 

DIA DE COMBATE AO COLESTEROL

O Dia Nacional de Combate ao Colesterol, comemorado em 8 de agosto, foi criado para a conscientização e prevenção das doenças cardiovasculares, que estão em primeiro lugar entre as causas de mortalidade no Brasil.

Entre as complicações decorrentes do excesso de colesterol está a aterosclerose, um acúmulo de placas de gorduras nas artérias que impede a passagem do sangue e pode causar sérios  problemas cardíacos como o infarto  e o acidente vascular cerebral.

 

O QUE É COLESTEROL?

O colesterol é um tipo de gordura (lipídio) produzido pelo organismo, que desempenha funções essenciais: faz parte da estrutura das células do cérebro, nervos, músculos, pele, fígado, intestinos e coração e é essencial para o funcionamento destas células. É importante para a formação de hormônios de vitamina D e até ácidos biliares, que ajudam na digestão das gorduras da alimentação.

TIPOS DE COLESTEROL

Nosso sangue é composto por dois tipos de colesterol: o LDL,  conhecido como colesterol ruim,  por entrar nas artérias, provocando seu entupimento; e o HDL, conhecido como bom, por retirar o excesso de colesterol das artérias, impedindo seu depósito e diminuindo a formação da placa de gordura. Por isso, quando medimos o colesterol total no sangue, precisamos sempre saber o quanto se deve ao colesterol bom e o quanto se deve ao ruim – só o ruim precisa ser tratado.

Em adultos, geralmente o excesso de colesterol LDL  no sangue está associado à  alimentação inadequada e falta de exercícios físicos. Um dos motivos da alteração dos níveis de colesterol é o consumo excessivo de gordura saturadas e gordura trans, presentes em alimentos de origem animal, como carnes, ovos, derivados do leite, além de produtos ultraprocessados como biscoitos, margarina, salgadinhos de pacote, comidas congeladas, bolos prontos e sorvete.No entanto, mesmo quem não costuma comer muitos alimentos industrializados e gordurosos pode ter problemas com o colesterol. Além desses fatores, a hereditariedade pode determinar um colesterol alto mesmo em pessoas de hábitos saudáveis.

CONTROLE E TRATAMENTO

O controle e tratamento das doenças cardiovasculares e seus fatores de risco envolvem, além da prescrição de medicamentos, mudanças no estilo de vida, como a prática de atividade física e a adoção de uma alimentação adequada e saudável, baseada na ingestão de alimentos in natura ou minimamente processados. Os alimentos que mais aumentam o colesterol são a gema dos ovos, o bacon, a pele da carne das aves, a manteiga, o creme de leite, a nata, as frituras, as salsichas, e embutidos e a carnes.

Faça ainda exames regulares, controle a pressão arterial, pare de fumar e reduza o peso, se excessivo. O tratamento do colesterol é preventivo e deve ser feito permanentemente, para reduzir o risco cardiovascular.