Carnaval: como curtir a festa com saúde

Para aproveitar ao máximo o carnaval é importante ter alguns cuidados que  vão ajudar  a curtir  estes dias de festa com muita saúde, sem excessos ou arrependimentos:

Cuidado com o sol

–  Vai para a praia ou piscina? Use sempre filtro solar e não fique o tempo todo no sol. Se o bloco for de dia e ao ar livre, o uso de filtro solar também é imprescindível

–  Evite  nadar após algumas cervejas e drinques – água e bebida nunca combinam

Previna-se

– Tenha sempre em mãos as camisinhas . Prevenir é melhor do que remediar, e a alegria do carnaval deve durar para sempre.

 O que vestir

– Use roupas leves e arejadas – isto vai ajudar a controlar melhor a temperatura do corpo, evitando a transpiração excessiva e a desidratação

-Nos pés, dê preferência aos tênis:  amortecem os impactos e protegem os pés de possíveis traumas.

Descanse

– O corpo precisa de seis a oito horas por dia para se regenerar. Caso ele não tenha esse o período de descanso, fica muito difícil manter o ritmo durante os dias de festa:  em algum momento ele dará sinais de cansaço e esgotamento. Caso a folia vá até tarde,  faça uma compensação dormindo até mais tarde. Se não for possível, tirar um bom cochilo durante o dia já ajuda.

Outras dicas importantes:

– Nunca dirija alcoolizado – sua vida vale ouro.

– Beba com moderação . Evite brigas e em caso de complicações, procure ajuda; se necessário,  procure ajuda médica. Verifique antecipadamente na cidade onde está quais são os serviços médicos que se encontram de plantão no Carnaval.

Carnaval e alimentação

– Antes das festas, evite alimentos ricos em gorduras, que tornam a digestão mais lenta e causam a sensação de estufamento. É melhor  fazer uma refeição ou um lanche reforçado com alimentos ricos em carboidratos (pão, arroz, batata, mandioca, milho, macarrão), pois esse nutriente fornece energia de sobra para gastar durante a festa.

– Fique atento a ingestão de bebida alcoólica e não vá pra folia de barriga vazia:  beber com o estômago vazio pode causar quadros de hipoglicemia. Para evitar qualquer mal-estar, vale a pena intercalar as bebidas alcoólicas com alimentos e goles de água.

– Durante a festa, não fique mais do que quatro horas sem se alimentar. Escolha alimentos leves e que favoreçam uma rápida digestão, além de hidratação e nutrição, como barrinhas de cereais, frutas desidratadas e sanduíches naturais.

– Não abuse das substâncias energéticas: algumas substâncias, como o pó de guaraná e as bebidas energéticas, são ricas em cafeína e, se consumidas em excesso, atrapalham o sono na hora de dormir, causam gastrite e sobrecarregam o organismo, podendo levar até à arritmia cardíaca.

– Para prevenir a desidratação causada pelo excesso de transpiração durante a diversão, consuma muita água,  sucos naturais de frutas, água de coco ou até mesmo bebidas isotônicas, que repõem os eletrólitos como sódio, potássio, magnésio e cloro perdidos. Os sucos de frutas são uma ótima opção, pois, além de hidratar, fornecem um açúcar natural (frutose) que repõe a energia gasta e impede a hipoglicemia.

Siga nossas dicas e aproveite com muita saúde e disposição os dias de festa!

 

Febre Amarela: lista dos municípios onde a vacinação é recomendada

A vacinação contra a febre amarela  é recomendada para uma grande área do Brasil onde a transmissão é considerada possível, nas ações de rotina dos programas de imunizações (Calendário Nacional de Vacinação), e deve ser aplicada em residentes da Área Com Recomendação de Vacina (ACRV) e em viajantes que se deslocam para essa área, conforme o mapa:


Confira a lista completa dos municípios do Brasil onde a vacinação é recomendada:

Municipios-Conforme—reas-ACRV-ACRT-ASRV-Febre-Amarela-Jan-2017-

 

Fonte:  http://portalsaude.saude.gov.br

Febre amarela: o que você precisa saber

Desde o final do ano passado, houve um aumento nos casos de  febre amarela no Brasil:  de acordo com dados do Ministério da Saúde, até o dia  30 de janeiro deste ano  foram 107  casos confirmados  nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo, com 46 mortes registradas – a Bahia também tem casos suspeitos da doença. O novo surto no país  ocorre 10 anos depois do  último, que  tinha acontecido  em 2007.

A febre amarela é transmitida pelo mosquito Aedes nas cidades, mas desde 1942 não há um caso fora das zonas silvestres e de mata do Brasil. Nessas regiões, a transmissão ocorre por meio dos mosquitos dos gêneros Haemagogus ou Sabethes. A questão que preocupa agora é se o vírus vai alcançar centros urbanos ou se permanecerá restrito ao campo.

No Rio Grande do Norte não foram registrados casos da doença este ano, mas sempre é bom ficar atento aos sintomas:

 

  1. Qual é o ciclo da febre amarela?
    O período de incubação varia entre 3 e 6 dias, em média, e o vírus fica no corpo humano por no máximo 7 dias.
  2. Como prevenir?
    A vacina é a principal forma de prevenção e controle.

Quem deve se vacinar?

A vacinação para quem mora no RN só é recomendada para quem vai viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata dentro das áreas de risco, no Brasil ou no exterior –e a imunização deve ser feita dez dias antes da viagem. Quem não se encaixa nesses casos não precisa buscar a vacina neste momento.

Pela possibilidade de causar reações, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também não recomenda a vacina para pessoas com doenças como lúpus, câncer e HIV, devido à baixa imunidade, nem para quem tem mais de 60 anos, grávidas e alérgicos a gelatina e ovo.

Fontes:

http://portal.fiocruz.br/pt-br

http://portalsaude.saude.gov.br

Mais informações sobre a doença podem ser obtidas na página do Ministério da Saúde:

http://www.saude.gov.br/febre-amarela