Dia do Rim: a prevenção tem que começar cedo

  • 0

Dia do Rim: a prevenção tem que começar cedo

Category : Notícias

RIM2

Hoje, dez de março, se comemora o Dia Mundial do Rim.  Anualmente, milhões de pessoas morrem devido a complicações decorrentes da Doença Renal Crônica (DRC). Por isso, a  Sociedade Brasileira de Nefrologia alerta para a importância da prevenção, que deve começar desde a infância:  evidências científicas mostram que a progressão da doença renal pode ser retardada, desde que o diagnóstico seja feito a tempo de permitir a adoção de medidas terapêuticas apropriadas.

Na infância, a doença renal crônica é diferente dos adultos, sendo as anomalias congênitas e doenças hereditárias os diagnósticos mais frequentes. Além disso, muitas crianças com lesão renal aguda poderão desenvolver sequelas que podem levar à hipertensão e doença renal crônica na vida adulta.

O que os rins fazem?

Os rins são dois dos órgãos mais importantes do corpo humano. Controlam o volume de água do corpo, filtram o sangue para retirar as impurezas e produzem hormônios (substâncias que ajudam no controle a pressão arterial, na renovação das células do sangue e na absorção de nutrientes dos alimentos que ingerimos).

O que é DRC? Como é tratada?

Doença Renal Crônica (DRC) é a perda progressiva da função dos dois rins. Quando os rins falham e a capacidade de funcionar cai abaixo de determinado nível, o que chamamos de insuficiência renal, as impurezas não são retiradas do sangue e afetam os órgãos do nosso corpo, como o coração, pulmões, músculos, estômago e cérebro. Isso pode se tornar uma ameaça à vida da pessoa e requer atenção urgente. Atualmente não existe cura para a DRC. Os tratamentos atuais são as diálises (filtragem do sangue por outros meios) ou o transplante (que depende de um doador compatível), que devolvem parte da qualidade de vida do paciente.

Como a DRC é detectada?

No começo, a DRC não tem sintomas – a pessoa pode perder 90% da função renal sem perceber. Por isso a prevenção e a detecção precoce são essenciais, pois permitem controlar o avanço da doença e a necessidade de tratamentos mais complexos. Exames de urina e de sangue podem detectar o início da doença.

Quais são as causas da DRC? Quem está no grupo de risco?

Hipertensão arterial (pressão alta) e diabetes são as causas mais comuns de DRC, que pode afetar pessoas de todas as idades e raças. O risco é maior para pessoas mais velhas, pessoas que sofrem de diabetes e/ou pressão alta, têm pessoa na família que tenha DRC  ou sejam de origem africana, hispânica, oriental ou aborígene. Se a pessoa está no grupo de risco deve obrigatoriamente consultar um nefrologista periodicamente.

Como prevenir a DRC?

  1. Monitore sua pressão arterial.
  2. Mantenha sua alimentação saudável e evite o sobrepeso.
  3. Controle o nível de açúcar no sangue (glicemia) para evitar o diabetes.
  4. Mantenha-se hidratado, tomando líquidos não alcóolicos.
  5. Mantenha-se em forma e pratique atividade física regularmente.
  6. Não fume.
  7. Não tome remédios sem orientação médica.
  8. Consulte um médico regularmente para verificar a situação dos seus rins.

Principais causas da doença em crianças:

Fatores genéticos ou dificuldade na drenagem da urina, nefrites (doenças inflamatórias que acometem os rins), cistos renais, rins malformados e as doenças renais hereditárias (rins policísticos).

Criança com hábitos não saudáveis pode tornar-se um doente renal.

Alimentar-se de forma saudável evitando o consumo excessivo de açúcar e sódio evita o diabetes e a hipertensão arterial, que são as principais causas da insuficiência renal crônica na fase adulta.

Como prevenir a Doença Renal Crônica nas crianças?

  • Alimentação saudável
  • Controlar o diabetes infantil e a pressão arterial
  • Estimular a criança a beber água
  • Estar atento às infecções urinárias recorrentes
  • Estimular a atividade física
  • Prevenir e controlar a infecção urinária ou outros tipos de infecções (garganta, por exemplo)

Sintomas da DRC nas crianças:

  • Dificuldade para crescer e ganhar peso
  • Anorexia severa, anemia que não responde ao tratamento
  • Alterações no volume urinário e na pressão arterial

 

Fique alerta! Cerca de 10% da população mundial sofre de algum tipo de doença renal.

Fonte:  Sociedade Brasileira de Nefrologia


Leave a Reply